Cerol, folia e outros batuques 

Cerol, folia e outros batuques
- Ramon Mocambo

Poesia

E a vontade de viver me embalou
Me ninou
Me-ni-no
Traquina serelepe e maloqueiro,
Desses que brinca com a cor do carro enquanto vigia.


Moleque igual nóis, dança com a morte,
E sabe que malandragem é passar pelo caco deixando cerol

 

Quem solta pipa no ventilador
Não aguenta vê nóis feliz

 

De Neston, nóis tem só a lata vazia
para batucar e enrolar linha chilena.

 

Aprendiz dos canto de capoeira,
Gramática de feira,
ligeiro, ligeira!

 

Na gira de caboclo o chefe Isac
saudou o Deus de todas as religiões,
ali entendi que a vida era mais!

Há uma esperança teimosa
olhar de erê,
brilho cristalino e prateado
Igual água na bacia areada,
Que me reflete pequeno e passageiro...
Como os carros, a chuva e a infância.

Rabiola, pgs 23-24 _____________________________________________________________

EDIÇÃO
Gabriel Galbiatti Nunes & Lígia Sene & Victor Prado

ASSISTÊNCIA EDITORIAL
Nayen Tenani

FOTO DE CAPA

Luiz Bhering / @luizbhering

REVISÃO & PREPARAÇÃO
Gabriel Galbiatti Nunes

PROJETO GRÁFICO & DIAGRAMAÇÃO

Victor Prado

ARTEFATO EDIÇÕES
1ª ed. - Franca/SP,
Maio de 2020, 44 pg.

PRÉ-VENDA DIRETO COM AUTOR

 

  • Instagram ícone social
  • Preto Ícone Facebook